sábado, 18 de novembro de 2017

Perpetuidade

A árvore floresce
E a flor fenece
Com toda dignidade,
Firme no seu lugar.
Depois, nada mais importa,
Se o vento leva,
Se cai no chão...
Enquanto viveu,
Foi bela e firme,
Deu semente
E assim, depois de morta,
Segue em frente...



Concita
07/08/1997

Onde está a luz?


A luz foi feita
Para iluminar
Toda a criação,
Incluindo
O homem,
Sua inteligência,
Seu coração.
Inteligência iluminada
Faz nascer a justiça,
Coração iluminado
Gera a bondade.
Bondade e justiça
Podem salvar o mundo.
Onde está a luz?
A luz foi feita!

Concita,
em um dia qualquer

sábado, 9 de setembro de 2017

Flor de campina

Uma flor é sempre uma flor,
quer nascida em rico jardim, quer nascida no lago, na campina.
Todas, primeiro botão;
depois desabrocham para a vida.


Concita
Poetizando em um dia qualquer

domingo, 20 de agosto de 2017

Monstros













Penso que uma nuvem maldosa
Envolveu o mundo,
Que essa nuvem fez chover
O desejo do poder.
Que o desejo do poder
Cega os homens,
Torna-os surdos.
Assim eles caminham,
Cegos e surdos.
Assim escorregam,
Tropeçam e caem.
Na queda ferem-se,
Deformam-se...
Tentam e andam novamente.
Caem, quebram-se
Ainda mais...
Tornam-se monstros.
Agem como monstros!

Concita

19/10/1983

sábado, 12 de agosto de 2017

Meu pai, carpinteiro do amor


Meu pai Altino foi um verdadeiro carpinteiro!

Usou o amor e ferramentas especiais; honestidade, compreensão, disponibilidade e o tempo, na formação moral, civil e religiosa dos seus filhos, que lhes chegaram como matéria prima em sua vida, em seu coração.

Eu tenho grande orgulho do carpinteiro que foi meu pai!


Concita
Dia dos Pais 2017

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Existe um templo

O templo dos arcos, dos arcos profundos.
O templo dos seixos, dos seixos polidos.
O templo das luzes, das luzes claras.
O templo das ervas, das ervas perfumadas.
Simplesmente existe... Perfeito!

Concita
05/05/1992

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Humanidade humana

É a chuva?
Não é chuva,
São lágrimas
De Deus,
Porque a humanidade
Não é mais humana,
Também não é animal.
É uma pedra,
Pedra enorme,
Sem sensibilidade.
E a pedra vai rolando,
Rolando...
Se esfumaçando,
Se diluindo,
Até se tornar nada,
De onde surge
O homem novo.
E Deus não chora mais,
E a chuva se torna
Cristal,
Cristal leve, brilhante,
Transparente.
E o cristal veste
A humanidade.
Aí sim, a humanidade
É humana!

Concita
16/04/2016

Direitos autorais

Os textos deste blog estão protegidos pela lei nº 9.610 de 19/02/1998. Não copie, reproduza ou publique sem mencionar os devidos créditos.